"SENHOR, FAZEI-ME INSTRUMENTO DE VOSSA PAZ".

Sua maior intenção, seu desejo principal e plano supremo era observar o Evangelho em tudo e por tudo,imitando com perfeição, atenção, esforço, dedicação e fervor os passos de Nosso Senhor Jesus Cristo no seguimento de sua doutrina". (Vida de S. Francisco - 1Cel 84)

"Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente você está fazendo o impossível.São Francisco de Assis"

domingo, 8 de setembro de 2019

08/09 -Natividade de Nossa Senhora


A Natividade de Nossa Senhora é a festa de seu nascimento. É celebrada desde o início do cristianismo, no Oriente. E no Ocidente, desde o século VII. O profundo significado desta festa é o próprio Filho de Deus, nascido de Maria para ser o nosso Salvador.
.
Em seu Sermão do Nascimento da Mãe de Deus, Pe. Antônio Vieira diz:
.
Perguntai aos enfermos para que nasce esta Celestial Menina, dir-vos-ão que nasce para Senhora da Saúde; 
perguntai aos pobres, dirão que nasce para Senhora dos Remédios; 
perguntai aos desamparados, dirão que nasce para Senhora do Amparo; 
perguntai aos desconsolados, dirão que nasce para Senhora da Consolação; 
perguntai aos tristes, dirão que nasce para Senhora dos Prazeres;
perguntai aos desesperados, dirão que nasce para Senhora da Esperança; 
os cegos dirão que nasce para Senhora da Luz; 
os discordes: para Senhora da Paz; 
os desencaminhados: para Senhora da Guia; 
os cativos: para Senhora do Livramento; 
os cercados: para Senhora da Vitória.
Dirão os pleiteantes que nasce para Senhora do Bom Despacho; 
os navegantes: para Senhora da Boa Viagem;
os temerosos da sua fortuna: para Senhora do Bom Sucesso; 
os desconfiados da vida: para Senhora da Boa Morte; 
os pecadores todos: para Senhora da Graça;
e todos os seus devotos: para Senhora da Glória.


E se todas estas vozes se unirem em uma só voz (...), dirão que nasce (...) para ser Maria e Mãe de Jesus. (Apud José Leite, S. J., op. cit., Vol. III, p. 33.).

ORAÇÃO



Prece à Maria, Mãe de todos.


"Dona e Senhora da Terra, do céu Rainha sem par, Virgem Mãe que um Deus encerra, suave Estrela do mar! Tua beleza fulgura, cingida embora de véus, pois nos trouxestes, tão pura, o próprio Filho de Deus.
Hoje é o teu dia: nasceste; vieste sem mancha à luz; com teu natal nos deste o do teu Filho Jesus. Em ti celeste e terrena o nosso olhar se compraz, Rainha santa e serena, que à todos trazes a paz. Louvado o Deus trino seja, suba ao céu nosso louvor, pois quis tornar Mãe da Igreja a própria Mãe do Senhor". (Hino - Liturgia das Horas)


sexta-feira, 30 de agosto de 2019

Nosso corpo é templo do Espírito Santo

"Que bom saber que ainda hoje existem jovens idealistas, que lutam para conservar a virtude da pureza, dizendo não às tentações", afirma Frei Felipinho no Palavra da Hora desta sexta-feira.




TvFranciscanos



quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Palavra da Hora | O grande São João Batista

"São João Batista gostaria que você o imitasse em seu amor a Cristo, que você pregasse Cristo por toda parte, como ele fez e estivesse pronto para morrer por aquele que morreu por você", afirma Frei Felipinho no Palavra da Hora desta quinta-feira.



TvFranciscanos


sábado, 17 de agosto de 2019

17 DE AGOSTO -Especial: Santa Beatriz da Silva

No dia 17 de agosto, a Família Franciscana celebra Santa Beatriz da Silva, fundadora da Ordem da Imaculada Conceição, ou Ordem das Irmãs Concepcionistas.
Irmã Maria Fabiana da Imaculada Conceição, OIC, do Mosteiro da Luz, fala sobre a história de Santa Beatriz da Silva.
Música de abertura: Feliz, ó Beatriz (Pe. Irala, sj)



Breve biografia

Dona Beatriz da Silva nasceu na vila de Campo Maior, em Portugal, por volta de 1437. Ela foi da linhagem dos reis de Portugal, filha de Rui Gomes da Silva, alcaide-mor de Campo Maior, e de sua mulher dona Isabel de Meneses, filha natural de dom Pedro de Meneses, 1.º conde de Vila Real e 2.º conde de Viana do Alentejo. Teve pelo menos doze irmãos. Ainda pequena, dona Beatriz da Silva partiu para a corte régia de Castela, em 1447, como donzela da rainha Isabel, segunda mulher do rei João II de Castela.
.
A presença de dona Beatriz na corte não passou despercebida. Sua formosura cativante encantou a todos. A rainha, dominada por uma mistura de ciúme e inveja, fechou dona Beatriz em um cofre, mas uma invisível proteção da Virgem Maria a salvou. Após este triste episódio, ela deixa Tordesilhas, onde a corte régia então estava instalada, e vai para Toledo, onde se recolheu no Mosteiro de São Domingos, o Real, de monjas dominicanas. Por devoção, decidiu manter sempre seu rosto coberto com um véu branco, de forma que, enquanto viveu, nenhum homem e nenhuma mulher viu seu rosto. Permanece neste mosteiro por cerca de 30 anos.
.
Em 1484, a rainha dona Isabel, a católica, doa-lhe os Palácios de Galiana onde existia uma Igreja antiga que tinha o nome de Santa Fé. Dona Beatriz, passada a esta casa, começou a adaptá-la para a forma de mosteiro. Levou consigo dona Filipa da Silva, sua sobrinha e outras onze mulheres, todas de hábito religioso, embora não pertencessem a uma Ordem. E, uma vez instalada na nova casa, querendo dar fim à sua determinação, estabeleceu a maneira de viver que queria e enviou-a a Roma, numa súplica conjunta com a rainha. Foi tudo aprovado e outorgado pelo Papa Inocêncio VIII pela bula “Inter Universa” em 1489. O Mosteiro já estava fundado e tudo já fora preparado para entregar o hábito a ela e às monjas que ela havia instruído, quando Nosso Senhor quis chamá-la.
.
Morreu no ano de 1492. Na hora de sua morte, foram vistas duas coisas maravilhosas. Uma foi que, quando lhe levantaram o véu para administrar-lhe a unção foi tal o esplendor de seu rosto que todos ficaram admirados. A segunda, foi que em sua fronte viram uma estrela, que lá ficou até que ela expirou, e que emitia uma luz e um esplendor igual à luz quando mais brilha. Faleceu com fama de santidade.
.
Em 1511, o Papa Júlio II atribui à Ordem nascente Regra Própria. Dona Beatriz foi beatificada pelo Papa Pio XI em 26 de julho de 1926 e solenemente canonizada em 3 de outubro de 1976 pelo Papa Paulo VI. Sua Festa é celebrada no dia 17 de agosto.
.
Nota: A expressão “Dona Beatriz da Silva” é um título usado na época, por ser ela descendente de reis e de condes. Era o costume da época. “Dona” não era qualquer mulher, como hoje nós chamamos a qualquer senhora. “Dona” eram apenas algumas de entre as mulheres nobres. As que possuíam esse título possuíam desde o batismo e jamais deixavam de o usar fazia parte do seu nome.
.
TvFranciscanos



domingo, 28 de julho de 2019

PAI NOSSO QUE ESTÁS NO CÉU...(Lc 11,1-13)(28.07.19)


Homilia do 17°Dom do tempo comum(Lc 11,1-13)(28.07.19)
.
Caríssimos, a liturgia deste domingo trata do dom da oração e de suas virtudes; com efeito, esse dom é o meio mais eficaz de se fazer a vontade de Deus e de vê-la realizada em todos os sentidos de nossa vida; costumo dizer que a oração é a graça de todo momento, porque tem seu fundamento na fé que age para muito além do que podemos por nós mesmos, visto que a oração é o dom por excelência do encontro com Deus e de nossa permanência Nele.
.
Na primeira leitura de hoje vemos a oração intercessória de Abraão que sente compaixão dos habitantes de Sodoma e Gomorra e perseverante intercede por eles a partir das virtudes dos justos que nelas ainda existiam na esperança de que tais virtudes seriam suficientes para aplacar a justiça divina dando tempo para que tais habitantes se convertessem. Mas, o grau de pecaminosidade deles era tamanho que só foi possível salvar os poucos justos existentes.
.
Na segunda leitura de hoje São Paulo nos dá a conhecer que a presença de Cristo em nossa vida é a garantia de nossa salvação eterna, pois, o Senhor por Sua Divina Misericórdia perdoa os nossos pecados nos livrando das terríveis consequências que eles trazem, como vimos acontecer com os habitantes de Sodoma e Gomorra que não foram poupados do fogo que os destruiu por causa dos incontáveis pecados que cometiam.
.
No Evangelho de hoje os discípulos pedem que Jesus lhes ensine a orar como São João Batista e os mestres da Lei ensinaram aos seus discípulos; ao que o Senhor lhes satisfez ensinando a oração do Pai nosso. Ora, essa oração contém os fundamentos da unidade cristã e seus efeitos práticos na vida daqueles que oram sem cessar, porque a oração perseverante é o meio pelo qual Deus, nosso Pai, nos concede todas as graças necessárias para a nossa salvação.
.
Portanto, para além dos pedidos que nela fazemos, a oração do Pai nosso, nos leva viver a perfeita comunhão com o Senhor e entre nós, pois, acompanhada da fé, da humildade e da justiça nos faz realizar em todos os sentidos somente a vontade de Deus que nos livra de todo o mal.
.
Paz e Bem!
.
Frei Fernando Maria OFMConv.



A ORAÇÃO  LUCAS 11, 01-13
"1.Um dia, num certo lugar, estava Jesus a rezar. Terminando a oração, disse-lhe um de seus discípulos: “Senhor, ensina-nos a rezar, como também João ensinou a seus discípulos.” 
2.Disse-lhes ele, então: “Quando orardes, dizei: 
Pai, santificado seja o vosso nome; venha o vosso Reino;* 3.dai-nos hoje o pão necessário ao nosso sustento; 4.perdoai-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos àqueles que nos ofenderam; e não nos deixeis cair em tentação”. 
5.Em seguida, ele continuou: “Se alguém de vós tiver um amigo e for procurá-lo à meia-noite, e lhe disser: Amigo, empresta-me três pães, 6.pois um amigo meu acaba de chegar à minha casa, de uma viagem, e não tenho nada para lhe oferecer; 7.e se ele responder lá de dentro: Não me incomodes; a porta já está fechada, meus filhos e eu estamos deitados; não posso levantar-me para te dar os pães; 8.eu vos digo: no caso de não se levantar para lhe dar os pães por ser seu amigo, certamente por causa da sua importunação se levantará e lhe dará quantos pães necessitar. 
9.E eu vos digo: pedi, e vos será dado; buscai, e achareis; batei, e vos será aberta. 
10.Pois todo aquele que pede, recebe; aquele que procura, acha; e ao que bater, se lhe abrirá. 
11.Se um filho pedir um pão, qual o pai entre vós que lhe dará uma pedra? Se ele pedir um peixe, acaso lhe dará uma serpente? 
12.Ou se lhe pedir um ovo, lhe dará porventura um escorpião? 
13.Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai celestial dará o Espírito Santo aos que lho pedirem”. (= Mt 12,22-45 = Mc 3,22-27) 


quinta-feira, 11 de julho de 2019

Padre ou Frei? Qual a diferença?



Apresentamos a diferença de um #Padre e de um #Frei. Todos os freis são padres? Todos os padres são freis? Acompanhe o vídeo e saiba tudo isso e muito mais.

TvFranciscanos

Por que os franciscanos vestem o hábito marrom?

Você sabe por que os franciscanos usam o hábito marrom?

Na reportagem da Tv Sudoeste, Frei Gabriel Alves explica o motivo. Acompanhe.



TvFranciscanos

terça-feira, 2 de julho de 2019

Irmão Sol, Irmã Lua ( Cena que arranca lágrimas dos olhos)



Saudosas Dublagens

FILMAÇO DIRIGIDO PELO GRANDE DIRETOR FRANCO ZEFFIRELLI SOBRE HISTÓRIA DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS COM SAUDOSA DUBLAGEM CLÁSSICA DA TELECINE...

SÃO FRANCISCO DE ASSIS: Por que Santo Seráfico?

São Francisco de Assis por sua humildade, santidade e desapego das coisas terrenas mereceu o título de Santo Seráfico, ou seja, sua vida atingiu tal grau de perfeição que ele recebeu o prêmio de estar no Céu diante de Deus e sentar-se no trono de um dos anjos apostatas da mais alta hierarquia, um Serafim. 

Significa que São Francisco alcançou o grau de um completo abrasamento no Amor de Deus...


Carta a todos os Fiéis


 

Escrito por São Francisco de Assis.

Primeira redação

Estas são as palavras da vida e da salvação: quem as ler e praticar, tem a vida e a salvação do Senhor

I. Os que fazem Penitência

Em nome do Senhor!

A todos os que amam o Senhor com todo o coração, com toda a alma, com todo o entendimento, com todas as suas forças (Mt 12, 30), e amam o seu próximo como a si mesmos (Mt 22, 39); e aborrecem seus próprios corpos com seus vícios e pecados; e recebem o Corpo e o Sangue de nosso Senhor Jesus Cristo; e fazem dignos frutos de penitência; Oh! quão felizes e benditos são os homens e mulheres que praticam estas coisas e perseveram nelas! porque repousará sobre eles o espírito do Senhor (Is 11, 2) e neles estabelecerá a sua morada e mansão (Jo 14, 23);  e são filhos do Pai celeste (Mt 5, 45), cujas obras fazem; e são esposos, irmãos e mães de nosso Senhor Jesus Cristo (Mt 12, 50).
Somos esposos, quando pelo Espírito Santo a alma se une a nosso Senhor Jesus Cristo. Somos seus irmãos, quando cumprimos a vontade de seu Pai que está nos céus (Mt 12, 50); somos suas mães, quando o levamos no coração e no corpo (1Cor 6, 20) pelo divino amor e pela pura e sincera consciência, e quando o damos à luz pelas santas obras, que devem brilhar aos olhos de todos para seu exemplo (Mt 5, 16).

Oh! como é glorioso ter no céu um Pai santo e grande! Oh! como é santo ter um tal esposo, consolador, belo e admirável! Oh! como é santo e amável ter um tal irmão e um tal filho, agradável, humilde, pacífico, doce, amável e mais que tudo desejável, Nosso Senhor Jesus Cristo, que deu a vida pelas suas ovelhas (Jo 10,15) e orou ao Pai, dizendo:
Pai santo, guarda em teu nome (Jo 17, 11) aqueles que me deste no mundo; eram teus e tu mos deste (Jo 17, 6). As palavras que me deste a eles as dei, e eles receberam-nas e reconheceram que, na verdade, eu vim de ti e reconheceram que tu me enviaste (Jo 17, 8). Rogo por eles, não rogo pelo mundo (Jo 17, 9). Abençoa-os e santifica-os (Jo 17, 17); também eu me santifico a mim mesmo por eles (Jo 17, 19). Não rogo somente por eles, mas também por aqueles que, pela sua palavra, hão-de crer em mim (Jo 17, 20), para que sejam perfeitos na unidade (Jo 17, 23), assim como nós o somos (Jo 17, 11). E quero, Pai, que, onde eu estiver estejam eles também comigo, para que vejam a minha glória (Jo 17, 24) no teu reino (Mt 20, 21). Amen.

II. Os que não fazem Penitência

Porém todos aqueles que não vivem em penitência; e não recebem o Corpo e o Sangue de nosso Senhor Jesus Cristo; e sustentam vícios e pecados; e correm atrás das más concupiscências e maus desejos da sua carne e não guardam o que prometeram ao Senhor; e com o seu corpo são escravos do mundo pelos desejos carnais, pelas solicitudes deste século e pelas preocupações desta vida; seduzidos pelo diabo, de quem são filhos e cujas obras praticam (Jo 8, 41), todos esses são cegos, porque não vêem a luz verdadeira, que é nosso Senhor Jesus Cristo.

Não possuem a sabedoria do espírito, porque não têm em si o Filho de Deus, que é a verdadeira sabedoria do Pai. Destes foi dito: A sua sabedoria desvaneceu-se (Sl 106, 27); e: Malditos aqueles que se afastam dos teus mandamentos (Sl 118, 21). Vêem e conhecem, sabem e fazem o mal, e deliberadamente perdem as suas almas.

Olhai, ó cegos, que andais enganados pelos vossos inimigos, a carne, o mundo e o diabo, porque ao corpo agrada cometer o pecado e repugna servir a Deus; pois que todos os vícios e pecados brotam e procedem do coração do homem, como diz o Senhor no Evangelho (Mc 7, 21).

E nada tendes neste século nem no vindouro.

Pensais possuir por muito tempo as vaidades deste mundo, mas estais enganados, porque virão o dia e a hora que não suspeitais, que desconheceis e ignorais. E então o corpo debilita-se, aproxima-se a morte, e assim se morre de morte amarga.

E onde, quando e como quer que o homem morra em pecado mortal sem penitência e sem satisfação, e, podendo satisfazer o não faz, o diabo arrebata-lhe a alma do corpo com tão grande angústia e tribulação, que ninguém pode conhecê-las, a não ser quem as experimenta.

E todos os talentos e poder, ciência e sabedoria, que julgavam ter, lhes serão tirados (Lc 8, 18; Mc 4, 25).

E deixam os bens aos parentes e amigos, que os levam e dividem e depois dizem: Maldita seja a sua alma, porque mais nos pudera ter deixado e ter ganhado mais do que ganhou.

O corpo torna-se pasto dos vermes e, assim, perdem corpo e alma nesta vida que é breve, e cairão no inferno, onde eternamente serão atormentados.


III. Última recomendação

A todos aqueles a quem chegar esta carta, rogamos, pela caridade que é Deus (1Jo 4, 16), que benignamente acolham as sobreditas odoríferas palavras de nosso Senhor Jesus Cristo. E aqueles que não sabem ler, peçam a outros que lhas leiam com frequência; e tenham-nas sempre presentes até ao fim mediante a prática de obras santas, porque são espírito e vida (Jo 6, 64).

E os que assim não fizerem terão de prestar contas, no dia do juízo (Mt 12, 36), perante o tribunal de nosso Senhor Jesus Cristo (Rm 14, 10).

Carta a todos os Fiéis
Escrito por São Francisco de Assis.
SEGUNDA REDAÇÃO


Em nome do Senhor, Pai e Filho e Espírito Santo. Amem.

A todos os cristãos, religiosos, clérigos e leigos, homens e mulheres, a todos os que habitam pelo mundo além, o irmão Francisco, seu servo e súbdito, envia reverentes saudações, paz verdadeira do céu e caridade sincera no Senhor.
Como servo de todos, a todos tenho obrigação de servir e ministrar as palavras do meu Senhor, cheias de suave perfume. E considerando comigo que, devido às enfermidades e fraqueza do meu corpo, me é impossível visitar pessoalmente a cada um de vós, resolvi comunicar-vos, por meio desta carta e de mensageiros, as palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, que é o Verbo do Pai, e as palavras do Espírito Santo, que são espírito e vida (Jo 6, 64).

1. A Palavra do Pai

O Pai altíssimo, pelo seu arcanjo S. Gabriel, anunciou à santa e gloriosa Virgem Maria (Lc 1, 31), que esse Verbo do mesmo Pai, tão digno, tão santo e glorioso, ia descer do céu, a tomar a carne verdadeira da nossa humana fragilidade em suas entranhas. E sendo Ele mais rico do que tudo (2 Cor 8, 9), quis, no entanto, com sua Mãe bem-aventurada, escolher vida de pobreza.
E ao aproximar-se a sua Paixão, celebrou a Páscoa com seus discípulos, e tomando o pão, deu graças e o abençoou e partiu, dizendo: Tomai e comei, isto é o meu corpo (Mt 26, 26). E tomando o cálice, disse: Este é o meu sangue da nova Aliança, que por vós e por muitos vai ser derramado, para remissão dos pecados (Mt 26, 26-28). E depois orou ao Pai, dizendo: Pai, se é possível, passe de mim este cálice (Mt 26, 39). E sobreveio-lhe um suor como de gotas de sangue, que escorria até ao chão (Lc 22, 44). Pôs, todavia, a sua vontade na vontade do Pai, dizendo: Pai, faça-se a tua vontade, não como eu quero, mas como tu queres (Mt 26, 39).

Ora, a vontade do Pai foi esta: Que seu Filho, bendito e glorioso, que ele nos havia dado e que por nós nascera, se oferecesse, por seu próprio sangue, como sacrifício e hóstia, no altar da cruz; não por si mesmo, por quem todas as coisas foram feitas (Jo 1, 3), mas pelos nossos pecados, deixando-nos seu exemplo, para seguirmos seus passos (1Ped, 2-21). E quer que todos sejamos salvos por ele, e que o recebamos com um coração puro e num corpo casto. Todavia, poucos são os que o querem receber e ser salvos por ele, não obstante o seu jugo ser suave e o seu peso leve (Mt 11, 30).

2. Malditos os que recusam os mandamentos; benditos os que os cumprem.

Os que se recusam provar como o Senhor é suave (Sl 33, 9) e mais amam as trevas do que a luz (Jo 3, 19), negando-se a cumprir os mandamentos de Deus, têm a sua maldição. Deles foi dito pelo Profeta: Malditos os que se apartam dos teus mandamentos (Sl 118, 21). Pelo contrário, que felizes e benditos são os que amam o Senhor, e praticam o que o mesmo Senhor diz no Evangelho: Amarás ao Senhor teu Deus, com todo o teu coração e com toda a tua alma, e ao teu próximo como a ti mesmo (Mt 22, 37 e 39).

3. Amemos e adoremos a Deus

Sim, amemos a Deus e adoremo-lo com um coração puro e alma simples, porque é isso o que ele mais que tudo deseja quando afirma: Os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e verdade (Jo 4, 23). Porque todos os que o adoram, devem adorá-lo em espírito e verdade (Jo 4, 24). Dia e noite lhe dirijamos louvores e preces, dizendo: Pai nosso, que estais nos céus, porque importa orar sempre e sem cessar (Lc 18,1).

4. Da confissão e comunhão

Devemos, além disso, confessar ao sacerdote todos os nossos pecados, e receber de suas mãos o Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo. Quem não come a sua carne e não bebe o seu sangue, não pode entrar no reino de Deus (Jo 3, 5). Mas coma e beba dignamente, porque quem indignamente o recebe, come e bebe a sua própria condenação, não discernindo o Corpo do Senhor (1Cor 11, 29), isto é, não o distinguindo dos outros alimentos. E façamos dignos frutos de penitência (Lc 3, 8). E amemos ao nosso próximo como a nós mesmos (Mt Z2, 39). E quem não quiser ou puder amá-lo como a si mesmo, ao menos não lhe faça mal, mas, sim, lhe faça bem.

5. Da misericórdia dos poderosos e do valor da esmola

Os que receberam o poder de julgar os outros, julguem-nos com misericórdia, como querem que o Senhor os julgue a eles. Porque sem misericórdia será julgado aquele que não usou de misericórdia (Tg 2, 13). Sejamos, pois, caridosos e humildes, e demos esmola, porque a esmola lava as almas das imundícies do pecado (Tb 31 31 4, 11). Os homens, de verdade, perdem tudo o que neste mundo deixam, mas levam consigo o preço da sua caridade e as esmolas que houverem feito, e delas receberão do Senhor recompensa e digna remuneração.

6. Do jejum corporal e da penitência (4)

Devemos também jejuar e abster-nos de vícios e pecados (Ecl 3, 32) e de excessos na comida e na bebida. Devemos ser católicos; frequentar as igrejas e reverenciar os sacerdotes, não tanto por si, se são pecadores, mas pelo ofício que têm de administrar o santíssimo Corpo e Sangue de nosso Senhor Jesus Cristo, que eles sacrificam no altar, e recebem e distribuem aos demais.
E firmemente nos compenetremos disto: Que ninguém se pode salvar, senão pelo Sangue de nosso Senhor Jesus Cristo e pelas santas palavras do Senhor, que os sacerdotes proclamam, pregam e administram, e só a eles pertence administrar e não aos outros.
E de um modo especial os religiosos que renunciaram ao mundo, lembrem-se que estão obrigados a fazer mais e melhores coisas, sem no entanto omitir as demais (Lc 11, 42).

7. Da negação de si mesmo, do amor aos inimigos e da obediência

Devemos aborrecer o nosso corpo com seus vícios e pecados, pois o Senhor diz no Evangelho que todos os vícios e pecados procedem do coração (Mt 15, 38 18-19; Mc 7, 23).
Devemos amar aos nossos inimigos, e fazer bem àqueles que nos odeiam (Mt 5, 44; Lc 6, 27).

Devemos observar os preceitos e conselhos de nosso Senhor Jesus Cristo.

Devemos, além disso, renunciar a nós mesmos e submeter o nosso corpo ao jugo da servidão e da santa obediência, conforme prometemos ao Senhor. Mas ninguém está obrigado por obediência a obedecer àquele que lhe manda o que é pecado ou delito.

8. Da autoridade como serviço
Porém, aquele que tem ofício para ser obedecido, e que é tido por maior em dignidade, seja como menor (Lc 22, 26) e servo dos demais irmãos e use com eles de misericórdia, como quereria que com ele usassem, se estivesse no lugar deles. Nem, pelo pecado de um irmão, contra ele se irrite, mas, com toda a paciência e humildade, bondosamente o admoeste e encoraje.

9. De como cada um se deve julgar
Não devemos ser sábios e prudentes segundo a carne (1Cor 1, 26), mas procuremos, sim, ser simples, humildes e puros. E façamos de nossos corpos objecto de opróbrio e desprezo, porque todos, por nossos pecados, somos desgraçados e pútridos, fétidos e vermes, como diz o Senhor pelo Profeta: Eu sou um verme e não um homem, o opróbrio dos homens e o rebotalho da plebe (Sl 21, 7). Nunca devemos desejar estar acima dos outros, mas antes devemos ser servos e sujeitos a toda a humana criatura por amor de Deus (Pe 2, 13).

10. Da felicidade dos filhos de Deus
E todos os que assim procederem, e perseverarem até ao fim, sobre eles repoisará o espírito do Senhor (Is 11, 2) e neles fará morada e mansão (Jo 14, 23). E serão filhos do Pai celeste (Mt 5, 45), cujas obras fazem. E são esposos, irmãos e mães de nosso Senhor Jesus Cristo.
Somos esposos, quando pelo Espírito Santo a alma se une a Jesus Cristo.
Somos seus irmãos, quando fazemos a vontade do seu Pai que está nos céus (Mt 12, 50).
Somos suas mães, quando o levamos no nosso coração e no nosso corpo, pelo amor e pela pura e sincera consciência, e o damos à luz pelas santas obras que devem brilhar aos olhos dos outros para seu exemplo (Mt 5, 6).
Oh! como é glorioso ter no céu um Pai santo e grande!
Oh! como é santo ter um esposo consolador formoso e admirável!
Oh! como é santo e agradável ter um tal irmão e filho, aprazível, humilde, pacífico, doce e mais que tudo desejável, que deu a vida pelas suas ovelhas (Jo 10, 15), e por nós pediu ao Pai, dizendo: Pai santo, guarda em teu nome aqueles que me deste (Jo 17, 11). Pai todos os que me deste no mundo, eram teus, e tu mos deste (Jo 17, 6). E as palavras que tu me deste, a eles as dei; e eles as receberam e ficaram sabendo que, de verdade, eu vim de ti, e creram que tu me enviaste (Jo 17, 8). Rogo por eles, não pelo mundo (Jo 17, 9); abençoa-os e santifica-os (Jo 17, 17). Também eu por eles me santifico, para que sejam santificados (Jo 17, 19) na unidade, como nós o somos (Jo 17, 11). E, Pai, eu quero que onde eu estou, ali estejam eles comigo, para que vejam a minha glória (Jo 17, 24) no teu reino (Mt 20, 21).
E, pois, tanto sofreu por nós e tantos bens nos deu e de futuro nos dará, que toda a criatura no céu e na terra e no mar e nos abismos, renda a Deus louvor, glória e honra e bênção (Ap 5, 13); porque é ele a nossa virtude e fortaleza, ele que só é o bom (Lc 18, 19), ele só o altíssimo, ele só o omnipotente e admirável e glorioso, ele só o santo, louvável e bendito por séculos dos séculos sem fim. Amen.

11. Dos que não fazem Penitência
Mas todos aqueles que não vivem em penitência, e não recebem o Corpo e Sangue de nosso Senhor Jesus Cristo, antes, sim, vivem em vícios e pecados; e que correm atrás das más concupiscências e maus desejos e não cumprem o que prometeram; e com seu corpo são escravos do mundo e dos desejos carnais e dos cuidados e solicitudes deste século e das preocupações desta vida, enganados pelo demónio, de quem são filhos e cujas obras fazem (Jo 8, 41), esses todos são cegos, porque não vêem a luz verdadeira que é nosso Senhor Jesus Cristo. Não têm sabedoria espiritual, porque não têm em si o Filho de Deus, que é a verdadeira sabedoria do Pai. Deles foi dito: A sua sabedoria foi devorada (Sl 106, 27). Vêem, conhecem, sabem, e todavia fazem o mal e deliberadamente perdem as suas almas.
Olhai, ó cegos enganados pelos vossos inimigos que são a carne, o mundo e o demónio, que, se é doce praticar o pecado e amargo servir a Deus, é porque do coração dos homem brotam e procedem (Mc 7, 21. 23) todos os vícios e pecados, conforme se diz no Evangelho. E nenhum bem possuís neste mundo nem no outro. Julgais que haveis de possuir por muito tempo as vaidades deste mundo, e estais enganados, porque virá o dia e a hora em que não pensais, e que desconheceis e ignorais.

12. Dos doentes que não fazem penitência
E então o corpo vos cairá doente, a morte avança, vêm os parentes e amigos e dizem:
- Faz as tuas últimas disposições.

E a esposa e os filhos, e os parentes e amigos, fingem que choram. Ele olha e, vendo-os a chorar, levado de um mau impulso, pensando dentro de si, diz:
- Eis que deixo em vossas mãos a minha alma, o meu corpo e tudo quanto possuo.

É na verdade maldito esse homem que confia e põe em tais mãos a sua alma e o seu corpo e os seus bens, pois dele diz o Senhor pelo profeta: Maldito o homem que confia noutro homem (Jr 17, 5).
Mandam então vir o sacerdote e este pergunta-lhe:
- Queres receber a penitência de todos os teus pecados?
E ele responde:
- Quero, sim.
- Queres satisfazer pelas faltas cometidas, reparar as injustiças e fraudes com os teus bens, conforme possas?
E ele responde:
- Não!
E pergunta o sacerdote:
- Porque não?
- Porque tudo deixei nas mãos de meus parentes e amigos.
E começa de perder a fala, e assim se fina aquele infeliz.
Pois saibam todos que, de qualquer maneira e seja onde for que um homem morra em pecado mortal sem reparação condigna, e podendo satisfazer o não fez, vem o demônio arrancar-lhe a alma do corpo com tanta angústia e tribulação, como só a quem o experimentou é dado bem conhecer.
E todos os talentos e poder, ciência e sabedoria, que julgava ter, lhe serão tirados (Mc 4, 25). E os parentes e amigos tomam conta da herança, e entre si a dividem, e depois dizem: 
- Maldita seja a sua alma, pois mais nos pudera ter deixado, mais pudera ter adquirido para nós do que aquilo que adquiriu.
Entretanto os vermes lhe vão comendo o corpo. E assim perde a alma e o corpo nesta vida que é breve, e cai no inferno, onde sem fim será atormentado.

Súplica final e Bênção

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amem.

A todos quantos receberem esta carta, eu, o irmão Francisco, menor servo vosso, vos peço e suplico pela caridade que é Deus (Jo 4, 16), e com o desejo de vos beijar os pés, que vos sintais obrigados a acolher, observar e guardar com humildade e amor estas palavras e as demais de nosso Senhor Jesus Cristo. E todos aqueles e aquelas que as receberem com benevolência, lhes derem atenção e enviarem cópias a outros, se no seu cumprimento perseverarem até ao fim (Mt 24, 13), que sobre eles venha a bênção do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amem

(4) Francisco liga o jejum e a penitência ao amor à Igreja católica. São frases dirigidas contra os cátaros, que pregando uma ascese radical se queriam separar da igreja pecadora, dos seus sacramentos e sacerdotes.

(Tradução: Editorial Franciscana)


terça-feira, 21 de maio de 2019

IRMÃ DULCE O ANJO BOM DA BAHIA (BEATA)



Documentário: Irmã Dulce -
O Documentário País: Brasil 
Ano: 2011 

Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes (nasceu em Salvador, 26 de maio de 1914 —faleceu Salvador, 13 de março de 1992), mais conhecida como Irmã Dulce, Beata Dulce dos Pobres, Bem-Aventurada Dulce dos Pobres ou "Anjo Bom da Bahia", foi uma religiosa católica humanista. 
Começou a praticar caridade aos 13 anos, ajudando mendigos nas ruas de Salvador. Aos 18 anos, entrou para a Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição. 
Dedicou toda sua vida à caridade e ficou conhecida como ‘Anjo bom da Bahia’. Foi beatificada em Salvador (BA) em 22 de maio de 2011, a partir do decreto assinado pelo papa Bento XVI, em dezembro de 2010. 
Em celebração a essa beatificação, a Rede Aparecida de Comunicação produziu e exibiu o documentário "Irmã Dulce", que aborda a vida, obra e legado da primeira baiana a se tornar beata. 
Histórias e relatos de sua compaixão com os mais necessitados são contados através de depoimentos de pessoas que conviveram e cuidaram da Irmã, entre eles: padre Antônio Maria, amigo Irmã Dulce; cardeal dom Geraldo Majella, escolhido pelo Vaticano para presidir sua beatificação; dom Murilo Krieger, arcebispo Primaz de Salvador; irmãs Josefa e Ana Angélica, que conviveram com irmã Dulce; e ainda, a enfermeira Walkiria, que cuidou de Dulce durante seus últimos dias.
FortificaeEmpodera


Santa Dulce dos Pobres. Rogai por nós.

Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes, mais conhecida como Irmã Dulce, Beata Dulce dos Pobres ou Bem-Aventurada Dulce dos Pobres, tendo recebido o epíteto de "o anjo bom da Bahia", foi uma religiosa católica brasileira, que fez muitas ações de caridade e assistência para quem mais precisava. Wikipédia

Nascimento: 26 de maio de 1914, Salvador, Bahia, Brasil
Falecimento:13 de março de 1992, Salvador, Bahia, Brasil



quarta-feira, 8 de maio de 2019

Palavra da Hora | O pão de Deus é aquele que desceu do céu



"Senhor Jesus, nossos amigos que não vão mais à Missa estão com fome e com sede, e não acreditam que o Senhor é o pão vivo que desceu do céu", reza Frei Felipinho no Palavra da Hora de hoje.

TvFranciscanos

sábado, 27 de abril de 2019

San Damian - Hermanas Clarisas



En San Damian bello jardin de primavera, calor de hogar donde tu amor todo renueva, cuando amanece Clara despierta a sus hermanas, para elevarte una oración el palpitar del corazón.
Cada mañana es descubrir, el cielo que brilla en el cielo azul, el canto de gorrión, el aroma de una flor, y estar contigo, viven en un solo corazón, unidas en un mismo ideal, pobreza y humildad, trabajo y oración, seguir tus huellas Señor, en libertad.
En San Damian viven el cielo ya en la tierra, y el manantial de tu amor, las alimentan, son como flores que aunque escondan su belleza, con su perfume de santidad toda la iglesia llenarán.



Cancionero Catolico

Santa Clara de Asis - Alma enamorada



Canto a Santa Clara de Asís

Quien iba a pensar,
que una mujer tan hermosa,
una mujer de alcurnea con sencillez,
candora tuviera como ideal,
dedicar todo su encanto a su Dios.
.
Quien iba a creer,
que una mujer que ha entregado,
hijos, madre, hermanos para servir,
a su Dios, se pudiera elevar,
hasta alcanzar lo eterno su amistad.
.
Y una noche salió,
hacia el encuentro de ese amor,
y ahí floreció como una llama el amor,
va en la oscuridad hacia la morada,
de salva enamorada
en busca del Señor.
.
Clara, Clara ah ah.
.
Cristo la sedujo,
Francisco la encaminó,
ella pensaba tan solo,
agradar a su Señor,
su servicio, su sacrificio,
oración de su vida
hizo al Señor,
su alma enamorada,
ya vive solo para El,
se ha convertido en hermana,
la pobre, la mujer,
la que siguió con amor,
lo que el Señor le indicó,
vive en El.
.
Y una noche salió,
hacia el encuentro de ese amor,
y ahí floreció como una llama el amor,
va en la claridad hacia la eterna
morada, salva enamorada,
al fin encontró su amor.
.
Clara, Clara ah ah.
.
Interpreta: Fray César
.
Cancionero Catolico

segunda-feira, 25 de março de 2019

“Melhor professor do mundo” é franciscano

PAZ E BEM!

Peter Tabichi, religioso da Ordem Franciscana, ganhou o Global Teacher Prize de 2019, conferido pela Fundação Varkey, organização de caridade dedicada à melhoria da educação para crianças carentes. Tabichi foi elogiado por suas realizações em uma escola sem infraestrutura, em meio a classes lotadas e poucos livros didáticos.
Ele quer que os alunos vejam “a ciência é o caminho certo” para ter sucesso no futuro. O prêmio, anunciado em uma cerimônia em Dubai, reconhece o compromisso “excepcional” do professor com os alunos em uma parte remota do Vale do Rift, no Quênia. Ele doa 80% de seu salário para apoiar os estudos dos seus alunos, na Escola Secundária Keriko Mixed Day, no vilarejo de Pwani. Se não fosse a ajuda do professor, as crianças não conseguiriam pagar por seus uniformes ou material escolar.

LEIA MAIS...


sábado, 23 de março de 2019

Pai, em tuas mãos (Salmo 30/31) - Letra e vídeo



Pai, em tuas mãos (Salmo 30/31) - Letra:

Pai, em tuas mãos
entrego o meu espírito.

1. Senhor, eu ponho em vós minha esperança;
que eu não fique envergonhado eternamente!
Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito,
porque vós me salvareis, ó Deus fiel.
.
2. Tornei-me o opróbrio do inimigo,
o desprezo e zombaria dos vizinhos,
e objeto de pavor para os amigos;
fogem de mim os que me veem pela rua!
.
3. A Vós, porém, ó meu Senhor, eu me confio,
e afirmo que só Vós sois o meu Deus!
Eu entrego em vossas mãos o meu destino;
libertai-me do inimigo e do opressor!
.
4. Mostrai, serena, a vossa face ao vosso servo,
e salvai-me pela vossa compaixão!
Fortalecei os corações, tende coragem,
todos vós que ao Senhor vos confiais!

Canções Agnus Dei

Coral  Palestrina de Curitiba
Álbum Cantos da Semana Santa

MEU DEUS E MEU TUDO





Cantemos juntos com São Francisco, o amor que muitas vezes não é amado. Letra e Música: Frei Wilson Sperandio.

Franciscanos Rondinha

quinta-feira, 21 de março de 2019

A Associação e Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus recebeu a Comenda da Ordem do Mérito Judiciário da Justiça do Trabalho da 15 Região, em Campinas.



A Associação e Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus recebeu a Comenda da Ordem do Mérito Judiciário da Justiça do Trabalho da 15 Região, em Campinas. 

A honraria é concedida para instituições que se destacam na promoção da justiça social, da dignidade humana e da paz. 
Para simbolizar o prêmio, Frei Francisco recebeu o Grande Colar, considerada a honraria máxima do tribunal, concedida apenas a desembargadores.

Associação e Fraternidade São Francisco de Assis na Providencia de Deus- JACI-SP





Missa com Frei Francisco Belotti, encerramento do 34o. Acampamento Fermento na Massa - Jaci - SP

O Frei Francisco deu um verdadeiro show de Fé em Deus.  

Frei Francisco fala sobre o Barco/Navio Hospital



Vídeo publicado em 24/05/2018 pela TV-Aparecida-SP 

Você também pode nos ajudar nesse e em outros projetos assistenciais. 
Faça uma doação: www.franciscanosnaprovidencia.org.br/do… ou telefone WhatsApp (17) 98157-1414


Associação Lar São Francisco na Providencia de Deus


terça-feira, 19 de março de 2019

NO MEU SONHO EU CAMINHAVA




No meu sonho eu caminhava tão feliz... (O Amor não é amado) de Frei Beraldo J. Hanlon, OFM

O Amor não é Amado (composição de frei Beraldo) 
.
No meu sonho eu caminhava tão feliz. De repente, um homem pobre avistei, andando pela estrada de Assis, tão aflito, que confesso, eu chorei. Perguntei-lhe o que tinha acontecido. Me ouviu mas ficou chorando sem parar, até que em fim me olhou e disse assim: “A Paixão de Jesus hei de chorar” 
.
Ref.: Pois o Amor, o Amor não é Amado. A felicidade assim não se pode encontrar. É preciso voltar a Jesus, o Amor, o que eu quero amar. 
.
Esse estranho só falava da paixão e usava uma roupa em forma de cruz. Nos braços deitava um pedaço de pau, violino de pobre cantando o Amor de Jesus 
Nós amamos tantas coisas neste mundo: dinheiro, prazeres, fama e poder; tudo, menos o que é mais amável, tudo menos aquele que mais bem nos quer.
 .
Ref.: Pois o Amor, o Amor não é amado... 
.
Muitas vezes, olhando o mundo tão triste, volta de mansinho ao meu pensar, a figura do pobrezinho de Assis, e , com ele tenho vontade de gritar: 
.

sábado, 26 de janeiro de 2019

A ecologia de Francisco: perceber o Criador



O Cântico das Criaturas é uma espécie de escada, que une Céu e Terra. Uma fusão amorosa, afetiva e efetiva do coração de São Francisco, afirma Frei Vitorio Mazzuco no Palavra da Hora de hoje. 
Acompanhe!


sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

CÂNTICO DAS CRIATURAS (Texto original em dialeto úmbrio)


Altissimu, onnipotente bon Signore,
Tue so’ le laude, la gloria e l’honore et onne benedictione.
.
Ad Te solo, Altissimo, se konfano,
et nullu homo ène dignu te mentovare.
.
Laudato sie, mi’ Signore cum tucte le Tue creature,
spetialmente messor lo frate Sole,
lo qual è iorno, et allumeni noi per lui.
Et ellu è bellu e radiante cum grande splendore:
de Te, Altissimo, porta significatione.
.
Laudato si’, mi Signore, per sora Luna e le stelle:
in celu l’ài formate clarite et pretiose et belle.
.
Laudato si’, mi’ Signore, per frate Vento
et per aere et nubilo et sereno et onne tempo,
per lo quale, a le Tue creature dài sustentamento.
.
Laudato si’, mi’ Signore, per sor Aqua,
la quale è multo utile et humile et pretiosa et casta.
.
Laudato si’, mi Signore, per frate Focu,
per lo quale ennallumini la nocte:
ed ello è bello et iocundo et robustoso et forte.
.
Laudato si’, mi’ Signore, per sora nostra matre Terra,
la quale ne sustenta et governa,
et produce diversi fructi con coloriti flori et herba.
.
Laudato si’, mi Signore, per quelli che perdonano per lo Tuo amore
et sostengono infirmitate et tribulatione.
.
Beati quelli ke ‘l sosterranno in pace,
ka da Te, Altissimo, sirano incoronati.
.
Laudato si’ mi Signore, per sora nostra Morte corporale,
da la quale nullu homo vivente po’ skappare:
guai a quelli ke morrano ne le peccata mortali;
beati quelli ke trovarà ne le Tue sanctissime voluntati,
ka la morte secunda no ‘l farrà male.
.
Laudate et benedicete mi Signore et rengratiate
e serviateli cum grande humilitate…

Altíssimo, omnipotente, bom Senhor,
a ti o louvor, a glória, a honra e toda a bênção.
A ti só, Altíssimo, se hão-de prestar
e nenhum homem é digno de te nomear.

(Versão em Português)

Louvado sejas, ó meu Senhor, com todas as tuas criaturas,
especialmente o meu senhor irmão Sol,
o qual faz o dia e por ele nos alumias.
E ele é belo e radiante, com grande esplendor:
de ti, Altíssimo, nos dá ele a imagem.
.
Louvado sejas, ó meu Senhor, pela irmã Lua e as Estrelas:
no céu as acendeste, claras, e preciosas e belas.
.
Louvado sejas, ó meu Senhor, pelo irmão Vento
e pelo Ar, e Nuvens, e Sereno, e todo o tempo,
por quem dás às tuas criaturas o sustento.
.
Louvado sejas, ó meu Senhor, pela irmã Água,
que é tão útil e humilde, e preciosa e casta.
.
Louvado sejas, ó meu Senhor, pelo irmão Fogo,
pelo qual alumias a noite:
e ele é belo, e jucundo, e robusto e forte.
.
Louvado sejas, ó meu Senhor, pela nossa irmã a mãe Terra,
que nos sustenta e governa, e produz variados frutos,
com flores coloridas, e verduras.
.
Louvado sejas, ó meu Senhor, por aqueles que perdoam por teu amor
e suportam enfermidades e tribulações.
.
Bem-aventurados aqueles que as suportam em paz,
pois por ti, Altíssimo, serão coroados.
.
Louvado sejas, ó meu Senhor, por nossa irmã a Morte corporal,
à qual nenhum homem vivente pode escapar:
Ai daqueles que morrem em pecado mortal!
Bem-aventurados aqueles que cumpriram a tua santíssima vontade,
porque a segunda morte não lhes fará mal.
.
Louvai e bendizei a meu Senhor, e dai-lhe graças
e servi-o com grande humildade…